terça-feira, 4 de novembro de 2014

Investigadores Brasileiros do Nepals/UFSM Participam de Programa de Cooperação Internacional na Argentina


Equipe Nepals e LabMesc

Equipe na gravação do documentário nas ruínas de São Miguel das Missões
O professor do Departamento de Educação Agrícola e Extensão Rural, Paulo Roberto Silveira e o Investigador Associado Vilson Flores dos Santos participaram de 13 a 18 de Outubro de atividades referentes ao Programa de Pesquisa “Criterios de sustentabilidad em áreas naturales e rurales oreintados al desarrollo local de buenas prácticas em turismo”, desenvolvido de forma conjunta entre a Universidad de Salvador –USAL e Universidad Autonoma de Entre Rios – UADER, ambas da Argentina e a Universidade Federal de Santa Maria-Brasil. O objetivo principal desta iniciativa é a consolidação de um espaço interinstitucional de reflexão e investigação dedicado a análise, discussão e troca de experiências relativas a aplicação de indicadores de sustentabilidade em sítios turísticos, especialmente em áreas naturais, rurais ou que apresentem um patrimônio histórico-cultural relevante. Os Investigadores da UFSM visitaram várias experiências turísticas na municipalidade de Gualeguaychú, Entre Rios, participaram de mesas de trabalho sobe as experiências da Reserva Natural de Las Piedras e do Parque Florístico, apresentaram os resultados da investigação que tem sido realizada sobre o turismo no território missões, enfatizando o sitio arqueológico de São Miguel das Missões-RS aos pesquisadores argentinos e a comunidade que os receberam. 


Entrevista com o historiador Sergio Venturini e São Luiz Gonzaga.
Equipe na gravação do documentário em Santo Ângelo.
Nesta oportunidade foi apresentado documentário sobre o turismo nas missões brasileiras dirigida pelo professor do Centro de Artes e Letras, Patricio Orozco-Contreras e que contou com a participação do LABMESC-CCR, coordenado pelos Professores Clayton Hillig e Liziany Müller. Os investigadores brasileiros também participaram de reunião com a direção da USAL onde se estabeleceu tratativas para a efetivação de um Acordo de Cooperação Internacional, prevendo-se para 2015 a visita dos parceiros argentinos e a realização de um grande evento sobre o turismo na região missioneira da Argentina, Paraguai e Brasil, enfocando a história, patrimônio Cultural e o turismo como elemento do desenvolvimento territorial. 
Na parte brasileira da cooperação internacional, o Núcleo Interdisciplinar em Extensão e Pesquisa em Alimentação e Sociedade – NEPALS tem a seu encargo um projeto de pesquisa que visa aprofundar o estudo do turismo nas missões, enfocando a mobilização dos elementos do patrimônio material e imaterial como instrumentos de atração turística. O grupo responsável pela pesquisa é composto além dos investigadores Paulo e Vilson, pela prof. Gisele Guimarães também do Departamento de Educação Agrícola e Extensão Rural, a Mestre em Extensão Rural Fernanda Venturini, a doutoranda em Extensão Rural, Caroline Ceretta, o doutorando em Extensão Rural,Ezequiel Redin e a mestranda em Extensão Rural, Ana Cecília Guedes.


domingo, 23 de dezembro de 2012

Prêmio Mérito Extensionista – Entrevista com Paulo Silveira


Paulo Roberto Cardoso da Silveira, coordenador do Nepals e professor do Departamento de Educação Agrícola e Extensão Rural (DEAER), foi agraciado com o Prêmio Mérito Extensionista “Prof. Dr. José Mariano da Rocha Filho”, onde são contempladas ações de extensão com reconhecimento local e regional e homenageando profissionais com marcante atuação extensionista universitária na Universidade Federal de Santa Maria. Para saber mais clique aqui



Nepals pergunta a Paulo Roberto Cardoso da Silveira: 

Nepals: O que você fez? 

Paulo Silveira: Minha atuação como extensionista tem raiz na extensão rural, quando participei como técnico da COSUEL, Cooperativa responsável pelos produtos DALIA, no início da década de 90; como participante de um programa de qualificação da produção leiteira, pude me identificar com a extensão rural; o mestrado na década de 90 me aproximou ainda mais desta área e fui me vinculando cada vez mais a extensão rural. 

Como professor na URI em 1995 e 1996, coordenei um núcleo de desenvolvimento regional integrado, onde busquei junto com os colegas aproximar a comunidade universitária da população regional; ingressando na UFSM em outubro de 2006, logo iniciei projetos junto a municípios de nossa região, sempre vinculando a atividade de extensão ao ensino da extensão rural.estes projetos contribuíram para estreitar os laços da UFSM com a comunidade regional, me propiciaram conhecer a realidade regional tão importante para alimentar nossa prática docente.

Solenidade de entrega do Prêmio

Em 1998, o CCR teve a demanda de adentrar na temática da agroindústria familiar, onde tive a oportunidade de coordenar projeto de extensão junto ao projeto esperança/co-esperança, envolvendo a formação de agricultores e agentes de desenvolvimento, bem como, debates sobre a legislação sanitária e a elaboração de projetos de agroindústrias, tentando com a equipe que coordenava adequar estes empreendimentos aos cânones da legislação vigente; era o período do Governo Olivio Dutra e se desenvolvia o programa Sabor Gaúcho, o qual acompanhei junto ao comitê regional; este programa visava fortalecer as agroindústrias familiares, através de ações de apoio técnico, comercialização, formação e crédito para investimento em instalações e equipamentos.

Em 2000, ganha a eleição em Santa Maria, o Partido dos Trabalhadores e sou convidado pelo prefeito Valdeci Oliveira para assumir a secretaria de desenvolvimento rural, a partir de janeiro de 2001, ficando até março de 2004, quando me candidatei a vereador. Neste período cresci muito profissionalmente, aliando a prática de gestor com o planejamento e a atividade extensionista, construindo de forma participativa um conjunto de políticas públicas de caráter inovador, pois todas contemplavam cinco eixos: ATER, Credito,organização, formação e comercialização.de volta a Universidade, fui me dedicar ao doutorado no Programa Interdisciplinar em Ciências Humanas da UFSC, onde defendi tese sobre aos produtos processados orgânicos e a comensalidade contemporânea. 
Paulo Silveira recebendo a distinção

Tive por força da tese, afastado da extensão, mesmo assim, durante este período já me envolvi em atividades de campo, o que me revigorava; em 2007, inicia uma discussão sobre um projeto de assessoria ao INCRA na área de agroindústrias nos assentamentos, o que se concretiza com o programa SOMAR, efetivado de 2009 a 2012. Neste programa, mergulhamos na realidade dos assentamentos de reforma agrária, onde propiciou um aprendizado enorme no enfrentamento dos limites do INCRA como gestor de políticas públicas e no processo de formação continuado que desenvolvemos junto aos assentados. Durante estes três anos interagimos com a realidade dos assentamentos e contribuímos para a viabilização dos empreendimentos dedicados ao processamento das matérias-primas agrícolas.

Neste período do SOMAR, não nos focamos somente nestas ações que eram estabelecidas no convênio, sendo que outros projetos passam a serem gestados. Neste momento, surgem as escolas rurais como público estratégico, pois representam um espaço educativo e de transformação da vida comunitária. Assim, inicia-se um trabalho junto a escola Chico Mendes inserida no assentamento Sepé Tiarajú em Capão do Cipó, onde desenvolvemos um conjunto de atividades que visam despertar a comunidade escolar para práticas ecológicas de produção e estimular novas atividades produtivas. Assim, investe-se em oficinas que trabalham a questão da erosão da cultura alimentar, associando alimentação adequada, hábitos e práticas alimentares, com a horta, a produção de húmus de minhoca, um quintal orgânico que contempla frutíferas comerciais e nativas, milho crioulo e estufa para familiaridade com cultivo de plástico. 

Outro trabalho que merece relevância é a integração ensino-extensão, onde desenvolve-se ações em Alegria, Jaguari e Santana do Livramento, além de Capão do Cipó, sendo que em Alegria iniciamos no mês de novembro um curso de extensão “gestão rural sustentável”, envolvendo alunos de ensino médio e agricultores, o qual deve envolver 24 módulos.

Equipe Nepals com Paulo Silveira

Nepals: Como você percebe a importância da ação universitária extensionista?
Paulo Silveira: Acho fundamental a extensão universitária, pois ela faz com que os docentes não fiquem alheios a realidade social, evitando que se encerrem em seus gabinetes com suas pesquisas. Também a extensão tem a função de qualificar o ensino, criando espaços de aprendizagem fora da sala de aula, viabilizando a interação entre os conteúdos desenvolvidos e a sua aplicação.

Nepals: Momento palavra de Silveira: O que você gostaria de dizer nesse momento?
Paulo Silveira: Queria dizer que este prêmio Mérito Extensionista é um reconhecimento de meu esforço e dedicação as atividades de extensão, apesar de não alterar em nada as condições que temos para realizá-las e não mudar meu sentimento de satisfação de realizá-las.Elas continuam sendo minha opção e meu compromisso.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Coordenador do Nepals recebe Prêmio Mérito Extensionista


Paulo Roberto Cardoso da Silveira, coordenador do Nepals e professor do Departamento de Educação Agrícola e Extensão Rural (DEAER), recebe nesta quinta-feira (13/12/2012), durante a solenidade promovida pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), o prêmio de Mérito Extensionista “Prof. Dr. José Mariano da Rocha Filho”, onde são contempladas ações de extensão com reconhecimento local e regional e homenageando profissionais com marcante atuação extensionista universitária. 

Silveira, que há muitos anos dedica-se a ações de extensão rural universitária, representa a Universidade Federal de Santa Maria nos diferentes cantos do Estado do Rio Grande do Sul e do Brasil. Ultimamente tem contribuído no planejamento e ações estratégias do governo federal, principalmente, no debate sobre a legislação ambiental e sanitária relativos as agroindústrias familiares rurais. 

A solenidade irá acontecer na sala 218 do 2º andar do prédio da Reitoria, às 10h desta quinta feira. A premiação abrange três áreas de ações de extensão: Educação, Saúde e Cultura.


Paulo Roberto Cardoso da Silveira: 
Possui graduação em Zootecnia pela Universidade Federal de Santa Maria (1989) e mestrado em Extensão Rural pela Universidade Federal de Santa Maria (1994). Atualmente é professor assistente da Universidade Federal de Santa Maria. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Sistemas de Produção Agrícola Sustentáveis, atuando principalmente nos seguintes temas: agricultura familiar, desenvolvimento regional, sistemas de produção agrícola, desenvolvimento rural e desenvolvimento sustentável. Com tese intitulada “Alimentos e bebidas orgânicas na comensalidade contemporânea: um estudo a partir dos processados orgânicos no Rio Grande do Sul – Brasil” pelo Programa Interdisciplinar em Ciência Humanas da UFSC na área de Concentração Sociedade e Meio-ambiente, desenvolve estudo sobre a produção artesanal de alimentos e sua inserção nas grandes redes de supermercados. Suas principais temáticas de estudo na atualidade são gestão ambiental rural e agroindústria familiar rural onde tem realizado vários projetos de pesquisa e extensão com agricultores familiares e assentados da reforma agrária. 

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Debate: QUALIDADE DOS ALIMENTOS: MITOS E REALIDADES



O NEPALS propõe um repensar a qualidade de alimentos e convida para um debate sobre os mitos e realidades que circundam esta questão no enfoque da produção de alimentos artesanais da agricultura familiar e povos tradicionais....

Estamos em um processo de perda de saberes pela não valorização deste patrimônio cultural, é nosso dever proteger este patrimônio.
O discurso dos orgãos fiscalizadores balizado na "higiedade rigorosa do modelo Americano" já não se sustenta mais. Temos que promover alternativas e isso só se constroi legitimando as realidades através de processos participativos e a Universidade tem muito a contribuir com isto. Por isto participe conosco.

Data: 16/10/2012
Local: auditório do NESAF atrás do predio 44/CCR/UFSM (ver mapa de localização)
Horário: 19h


terça-feira, 31 de julho de 2012

Seminário Nepals - Contribuições Metodológicas para Estudos dos Espaços Rurais



Apresentação

Este encontro visa debater as diferentes contribuições metodológicas que vem sendo produzidas por pesquisadores associados ao Grupo NEPALS, importantes para embasar estudos dos espaços rurais na permanente tensão entre as transformações em curso e as permanências, estas muitas vezes, relegadas ao segundo plano, diante do intenso impacto provocado pelas mudanças civilizatórias percebidas neste início de século. Trata-se de um momento de construção coletiva, de natureza interdisciplinar e que aborda várias temáticas de fundamental relevância na contemporaneidade, buscando conectar diferentes perspectivas analíticas presentes na tradição das ciências sociais, ousando em propor novas leituras possíveis da dinâmica do espaço rural e, principalmente, das ações dos diferentes atores que aí interagem. Além de resgatar importantes trabalhos produzidos pelo NEPALS, busca-se, através da presença de convidados, lançar novos desafios capazes de gerar novas produções e reflexões. Como meta a alavancar, posteriormente, pretende-se construir uma publicação onde se possa registrar as diferentes trilhas propostas por este grupo de pesquisadores.
Trabalhos importantes do Nepals: projeto das aulas (cachoeira do sul, Jaguari, alegria, Piratini...) 

Objetivo:

1. Analisar as contribuições de autores importantes na tradição das ciências sociais e Humanas, buscando referenciais analíticos para embasar pesquisas sobre as transformações e permanências visíveis no espaço rural contemporâneo;
2. Mapear e inter-conectar abordagens teórico-metodológicas para elaboração de um livro que traga as diferentes produções realizadas pelo NEPALS  e pesquisadores associados;
3. Aprofundar as contribuições de Milton Santos e Pierre Bourdieu para os estudos dos espaços rurais;



domingo, 6 de maio de 2012

Nepals em ação em Jaguari/RS



No dia 05 de abril de 2012, as turmas da disciplina de extensão e comunicação dos cursos de agronomia,  engenharia florestal, e da disciplina de gestão ambiental do curso de zootecnia participaram de ações voltadas a organização de apicultores e dos jovens rurais no município de Jaguari, na localidade de Ijucapirama.
Pela manhã foram realizadas encontros dinâmicos com os 80 jovens da escola da localidade de Ijucapirama,  com o objetivo de fazer reflexões sobre a permanência ou não do jovem no meio rural. Durante  as discussões os grupos debateram as condições de moradia, laser, cultura, educação e informação existente atualmente no meio rural o que tem levado ao êxodo da juventude, deixando o campo, envelhecido e ainda masculinizado, pois as meninas sentem mais dificuldades do que os rapazes em ficar no meio rural. Pautas neste sentido foram postas em discussão durante esta manhã de desafios tanto para os jovens quanto para a equipe, de trabalhar um tema tão polemico no atual contexto do rural. 
 
Alguns pontos que merecem destaque como resultado interpretativo da discussão apontados pelos acadêmicos e equipe:
*relação de não permanência, em função da desvalorização da profissão no meio rural,
* tendência a exaltação do urbano;
* falta de valorização e vergonha da sua cultura e modo de vida agrícola;
* falta de incentivos dos  pais e da comunidade para permanecer no meio rural, procurando estratégias de sobrevivência, com diversificação e auxilio de novas tecnologias;
 
Durante a manhã o prof. Paulo Silveira, o doutorando Paulo Deon e acadêmicos de agronomia e zootecnia reuniram com uma organização formalizada de apicultores com o objetivos de elencar as prioridades de ação da organização, juntamente com representantes da secretaria de agricultura de Jaguari e IFF_Jaguari, os quais foram agentes importantes neste processo.
Pela tarde foram realizadas visitas em propriedades da localidade com o objetivo de trocas de experiências entre acadêmicos e agricultores. Foram visitadas propriedades de diversas com atividades relacionadas a produção de rapadura, embutidos, mel, cachaça, piscicultura. Esta interação entre teoria e prática proporcionada pelas saídas a campo é tão benéfica aos acadêmicos que carecem de práticas quanto as comunidades locais que sentem-se mais valorizadas pelo segmentos urbanos. 



domingo, 29 de abril de 2012

I CONGRESSO LATINO AMERICANO DE SUSTENTABILIDADE SOCIOAMBIENTAL: ESPAÇOS RURAIS E CONTEMPORANEIDADE.

Inscrições Abertas para o COLASER - Congresso Latino Americano de sustentabilidade socioambiental: espaços rurais e contemporaneidade em Santa Maria no CTG Sentinela da Querência de 12 á 15 junho, um espaço de discussão com personalidades da América Latina venha conferir!!!!
A programação completa confira no link abaixo.
www.colaser.com.br

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Ações do projeto erosão cultural alimentar em 2011.




No ano de 2011 o Programa: O Desafio da Erosão Cultural Alimentar: Ações de aprendizado social nas escolas urbanas e rurais da região central do RS, atuou nos seus três focos: escolas urbanas, escolas de asssentamentos da reforma agrária e escolas rurais de comunidades da agricultura familiar. O público envolvido neste contexto foram alunos, professores e grupo de mulheres, sendo este último somente no meio rural.

Os municípios de atuação foram: a escola urbana de Santa Maria, as escolas rurais de aaaaaaaaaa Toropi, Faxinal do Soturno e Novo Cabrais e nos assentamentos de Aceguá, Piratini, Pedras Altas, Canguçu e Capão do Cipó.

A primeira etapa de apresentação do projeto visava a explicação das ações por meio de espaços de discussão, oficinas pilotos ou seminários, além do planejamento e agendamento para os próximos encontros, foi concluída. Logo se pode perceber as diferentes realidades encontradas, tanto em número de pessoas, quanto as práticas e valores locais, necessitando-se uma maior atenção para as ações propostas.

A próxima etapa constitui-se da aplicação de oficinas em diferentes locais, para a geração de materiais didáticos a fim de que a escola possa trabalhar a questão da erosão cultural alimentar com a sua comunidade escolar, sendo esta uma das perspectivas para 2012. As oficinas tiveram o objetivo de sensibilizar a comunidade escolar a respeito do tema, expondo a problematização da erosão alimentar e as alternativas de resgate, bem como levantar dados sobre a realidade alimentar de cada região.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Nepals em debate



No dia 21 de março estaremos inaugurando o espaço “NEPALS em Debate”, promovendo uma atividade conjunta dos eixos “Construção Social dos Mercados” e “Alimentação e Cultura”, onde teremos a participação da nossa colaboradora Gisele Martins Guimarães, professora da UERGS, a qual recentemente defendeu tese no PGDR-UFRGS sobre o processo de desenvolvimento da quarta colônia. Neste espaço, a convidada abordará os esforços de construção social dos mercados envolvendo a gastronomia e a produção artesanal de alimentos.


O encontro ocorrerá às 18 horas no auditório do Programa de Pós-graduação em Extensão Rural da Universidade Federal de Santa Maria, segundo andar do prédio 44.

A sua presença é indispensável.

domingo, 22 de janeiro de 2012

Nepals no Fórum Social Temático


A Universidade Federal de Santa Maria através do Programa de Formação Socioambiental, do NEPALS (Núcleo Interdisciplinar de Estudos e Pesquisa em Alimentação e Sociedade) e do NEMAD (Núcleo de Estudos em Meio Ambiente e Desenvolvimento) estará realizando, durante o Fórum Social Temático, em Porto Alegre de 26 a 28 de janeiro de 2012 SEMINÁRIOS DE CONVERGÊNCIA EM AÇÕES SOCIOAMBIENTAIS.

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Primeira oficina de Erosão Cultural Alimentar em Novo Cabrais

A escola Municipal de Ensino Fundamental José Escotegâne recebe o projeto Erosão Cultural Alimentar para a realização da primeira oficina com o objetivo de conhecer a dieta alimentar local.
Estivem presentes no Centro comunitário São Roque, nas proximidades da escola, o Vice prefeito do município, o secretário de educação, o grupo de mulheres coordenado pela Emater, professores e alunos. A oficina ocorreu pela manhã e teve início com um 'banquete' preparado pelas mães dos alunos que participam do grupo de mulheres, pratos deliciosos, dentre os quais, alguns retomavam a cultura local.
Os grupos foram divididos em alunos, os quais a bolsista do projeto, Fernanda Ventorini, trabalhou com dinamicas que atividades que visavam conhecer a alimentação e a cultura local; e o outro grupo de professores e mulheres rurais (mães dos alunos), onde a extensionista da emater regional de Santa Maria, Angela Pereira, coordenou as atividades que tratavam de uma retomada da cultura e reconhecimento desta.
Os trabalhos perduram a manhã inteira com grande interesse dos participantes.
A equipe do projeto retornou muito satisfeita pelo trabalho e pela receptividade, tanto da comunidade escolar quanto da prefeitura municipal.
A próxima oficina já tem data marcada para o dia 25 de outubro.

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Trabalhando a erosão cultural alimentar na escola urbana

O projeto Erosão cultural alimentar atuou nesta última segunda feira na Escola urbana de Santa Maria Édina May Cardoso onde ocorreu uma oficina com alunos do primeiro ano do ensino fundamental com o objetivo de levantar a dieta alimentar. o projeto tem três focos de ação, escola urbana, de assentamento de reforma agrária e escolas rurais de comunidades de agricultura familiar. Será um trabalho comparativo do processo de erosão cultural alimentar em três meios diferentes, o projeto está na fase de aplicação das oficinas e levantamento de dados, mas as diferenças do processo erosivo nestes três meios são significativas.

A realidade urbana é muito diferente dos outros dois focos, a alimentação realmente é bastante homogeneizada e simplificada nutricionalmente, percebe-se pelo levantamento com os 18 alunos que não há preocupação das unidades familiares em cultivar hábitos familiar.

O projeto tem a honra de contar com acadêmicas do 4º semestre de nutrição da Unifra, Vanessa Pucci, Adriane que complementam o trabalho tanto com alunos como com os pais, fazendo um círculo de envolvimento da comunidade escolar.

A oficina foi bastante dinâmica com atividades participativas que trabalharam a alimentação industrializada vivenciada hoje bastante influenciada pela mídia.

A próxima oficina será no mês de outubro e versará sobre os hábitos alimentares vinculados e os reflexos na saúde.

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Projeto Erosão Cultural Alimentar conclui primeira fase

Nesta última terça feira pela manhã, foi apresentado o projeto "Os desafios da Erosão Cultural Alimentar: ações de aprendizado em escolas urbanas e rurais da região centro do estado RS", para a prefeitura municipal de Novo Cabrais, que ficou muito motivada pelo trabalho, visto que existem ações em prol da segurança alimentar no município sendo esta última ação para conclusão da primeira fase do projeto.
No encontro estavam presentes Angela Pereira extensionista da emater regional de santa Maria, Fernanda Venturini bosista do projeto, o prefeito municipal, a extensionista da emater local, secretário da educação e ainda a equipe da escola Escola Muninicipal de Ensino Fundamental José Escortegâne, onde será executado o projeto. Após a explanação sobre o sobre o projeto foi realizado um planejamento das oficinas até o fim do ano. A equipe do projeto ficou muito satisfeita com a recepção do projeto e a abertura para os trabalhos que envolvem segurança alimentar.
Pela tarde foi realizada a apresentação do projeto para a secretaria de educação de Faxinal do Soturno. após a explanação sobre o projeto, e a reflexão em torno do processo de erosão cultural alimentar que vivemos, foram planejadas as agendas. A Escola Municipal de Ensino Fundamental Padre Pedro Copetti receberá o projeto em faxinal do soturno, onde já existe um trabalho que busca resgatar a gastronomia local, são ações dentro do projeto escola ativa, o projeto que o Nepals propõe vem a complementar o que já existe trazendo reflexões sobre o processo de erosão cultural alimentar levando da teoria a prática através de oficinas sobre hábitos alimentares e o que envolve o processo de alimentação.
Com estes dois últimos contatos em escolas foi concretizada a primeira etapa do projeto, estando com abrangência em sete municipios, sendo eles: Capão do cipó, Toropi, Santa Maria, Faxinal do Soturno, Novo Cabrais, Canguçu e Piratini. Em cada um destes municipios foi determina uma escola onde serão realizadas oficinas com os alunos, professores e grupo de mulheres das localidades próximas a escola.

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Nepals em Ação com projetos na metade sul




As equipes dos projetos "O desafio da Erosão Cultural Alimentar: Ações de Aprendizado social nas escolas urbanas e rurais da região central do RS" e "Preservação e Reprodução de Sementes Crioulas em Assentamentos de Reforma Agrária do Rio Grande do Sul", as quais estiveram no inicio do mês no município de Pedras altas e Aceguá, para apresentação dos projetos nas escolas dos assentamentos de Gloria em Pedras Altas e assentamento Jaguarão em Aceguá, onde os projetos serão executados e terão apoio logístico da equipe da Cooperativa de Prestação de serviços Técnicos em assentamento de reforma agrária - COPTEC, a qual se mostrou muito receptora aos trabalhos. Devido ao mal tempo não houve possibilidade de chegar nas escolas, assim foram realizados foram encaminhados através da COPTEC os contatos com as escolas e as oficinas ficaram para a primeira semana de setembro.
Em Pedras Altas, segundo a COPTEC, tem-se uma realidade interessante, onde em torno de 40% dos cidadãos do município são assentados e trabalham significativamente com a produção de alimentos para subsistência com uma matriz produtiva baseada na pecuária leiteira e ovinocultura. Muitos comercializam seus produtos na sede do município diretamente com o consumidor final, como observamos (foto). Neste contexto os projetos vem a contribuir muito com o desenvolvimento local, no resgate a sementes crioulas e a cultura alimentar local retomando hábitos e práticas de produção e processamento.
Em aceguá a matriz produtiva também é baseada na pecuária leiteira, a produção para subsistência não é tão intensa, mas existe fomento por parte da equipe para a produção familiar principalmente com o objetivo de aproveitar a oportunidade de ofertar para merenda escolar.


quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Projeto Somar

Programa SOMAR - Programa Sistema de Orientação e Mobilização Assistida com Responsabilidade Técnica é uma ação de extensão, coordenada pelo Professor Paulo Roberto Cardoso da Silveira do grupo Nepals. Os recursos advém de convênio entre INCRA e UFSM, visando assessorar o programa Terra Sol, lançado pelo INCRA em 2004 para apoiar processos de agroindustrialização e comercialização das matérias-primas dos assentamentos de reforma agrária do rio grande do sul.




O Programa SOMAR atua nas áreas de qualificação dos projetos agroindustriais, no controle de qualidade e ambiental, gestão estratégica e administrativa, no apoio na comercialização e marketing, além de investir na formação continuada dos agricultores(as) gestoras e operadoras dos empreendimentos e agentes de desenvolvimento envolvidos na consolidação dos empreendimentos. Trata-se de uma equipe de profissionais de diversas áreas, além de bolsistas de graduação e pós-graduação. Busca-se contribuir para criar meios para o desenvolvimento sustentável e a qualificação da reforma agrária no Brasil ao apoiar organizações de agricultores assentados.